fbpx

Asma e fatores psicológicos: entenda a relação e como tratar corretamente

asma e fatores psicológicos
6 minutos para ler

Muito além do que fatores externos, como poluição e alergias diversas, a asma também é explicada por motivos psicológicos. Por isso, nada melhor do que o portador da doença sempre se cuidar, valorizando a autoestima e também momentos de tranquilidade.

Com o objetivo de ajudá-lo a sempre viver bem, elaboramos este post com orientações importantíssimas sobre a asma e fatores psicológicos. Venha com a gente e mantenha sempre o foco na qualidade de vida!

Entenda os fatores que desencadeiam a asma

Para começarmos a explicar a influência da asma e fatores psicológicos, precisamos situá-lo em todos os aspectos da doença, que apesar de ter tratamento, não tem uma cura propriamente dita.

Basicamente, asma é uma doença respiratória que atinge pessoas com predisposição genética e também em situações que geram alergia nos portadores, principalmente em estações do ano mais secas e frias.

Dessa maneira, as crises são caracterizadas por inflamações dos bronquíolos, causando tosse seca e falta de ar, além de indisposição. Na forma crônica, pode até mesmo ocasionar problemas cardio-respiratórios, ou seja, quem é asmático precisa sempre se cuidar.

Além disso, existem inúmeros fatores de risco, como ambientes com muita poeira, poluição, pelos de animais e até mesmo alguns alimentos, como camarão e amendoim.

Estes não são os únicos gatilhos da asma, pois o estado emocional dos pacientes também influencia no desencadeamento de uma possível crise, trazendo diversos problemas que necessitam até mesmo de internações hospitalares.

Conheça como a asma e fatores psicológicos estão interligados

A asma é uma doença psicossomática, ou seja, com várias causas tanto físicas quanto psicológicas. Assim, é importante que o portador fique atento a situações que possam alterar o estado de ânimo, como uma crise de ansiedade ou estresse excessivo.

Isso porque o organismo do asmático reage frente a um conflito emocional como se um agente alérgico estivesse entrando no organismo, despertando a crise, inclusive de uma maneira inconsciente.

Por isso, quando alguém que é portador da doença e sente o cheiro de um perfume que remete a um relacionamento doentio e que tenha causado transtornos, possivelmente sofrerá uma crise, principalmente se não estiver com o aspecto emocional bem resolvido.

A mesma reação pode acontecer quando o asmático esteja em um momento de medo, preocupação ou com um quadro de depressão.

Para você entender melhor, imagine o cérebro recebendo informações que remetam a alertas de possíveis invasores. Ao enviar mensagens às células, o sistema imunológico se enfraquece, atacando diretamente os pulmões que já não estão 100%.

Os nervos enviam mensagens de perigo e produzem substâncias que contraem os brônquios. É nesse momento em que a secreção e catarros aumentam, inflamando as vias aéreas.

Dessa maneira, a crise se instala, fazendo com que a pessoa tenha que agir rapidamente para evitar possíveis agravamentos.

Além dos adultos, as crianças também sofrem em razão dos fatores psicológicos. Podemos citar a irritabilidade e noites mal dormidas, trazendo cansaço físico e mental.

Aprenda como combater os sintomas psicológicos da asma

Existem alguns sintomas psicológicos que podem atingir portadores da asma que devem ser combatidos. Isso porque o desencadeamento de cada crise traz ensinamentos comportamentais.

Por exemplo, se um asmático tiver uma crise após uma discussão no trabalho, a dica é evitar conflitos, buscando sempre o bom-senso.

No entanto, existem alguns males que podem agravar ainda mais o quadro da asma, como a depressão. Nesse caso, a orientação é fazer atividades que previnam as oscilações emocionais, como a prática esportiva ou meditação.

Além disso, busque sempre manter a autoestima em dia, valorizando-se em todas as situações do cotidiano. Valorize também as boas amizades, mantenha uma vida social saudável, cuide da alimentação e procure momentos agradáveis, com um passeio no parque ou a leitura de um bom livro.

Outra dica fundamental é evitar ambientes que tenham muita poeira, ácaros ou poluição. Consuma muita água e invista no autoconhecimento.

Veja os tratamentos para amenizar as crises de asma

Como a asma pode atacar em qualquer lugar e horário, a dica é investir na melhora da qualidade de vida de quem é portador da doença.

Para isso, a primeira orientação é buscar o auxílio médico para você conhecer profundamente a situação e os métodos que poderão ser eficazes no controle dos sintomas.

Somente por meio do histórico clínico será possível traçar uma avaliação que traga resultados a curto, médio e longo prazo.

No auxílio dentro de casa, a utilização de inaladores e nebulizadores é tão essencial quanto as tradicionais bombinhas. Claro, tudo com a devida orientação médica.

Descubra a realidade da asma no Brasil

Atualmente, existem no Brasil mais de 6,4 milhões de pessoas acima de 18 anos diagnosticadas com asma. No mundo, são mais de 300 milhões de seres humanos que sofrem com a doença, incluindo crianças.

Somente no Sistema Único de Saúde (SUS) são mais de 100 mil internações por ano, ou seja, trata-se de um problema de saúde pública. Inclusive, existe tratamento gratuito disponibilizado na rede pública.

De acordo com o DataSus, a asma é a quarta principal causa de internações no Brasil. Somente em 2017, houve 2.477 mortes registradas no país.

Além das crises de tosse e falta de ar, a doença pode ainda desencadear muitos outros problemas, inclusive graves. Entre eles, podemos citar a insônia, ansiedade, alterações na estrutura dos pulmões, tosse persistente, entre outros.

Portanto, como você percebeu ao longo desse post, a dica é sempre o portador da doença se cuidar, inclusive com comportamentos que muitas vezes não são levados à sério por pessoas saudáveis.

É preciso investir na qualidade de vida, evitando o consumo de cigarros, bebidas alcoólicas, comidas gordurosas, etc.

No aspecto asma e fatores psicológicos, faça sempre uma avaliação pessoal e, caso necessário, invista em uma terapia ou em algo que vá melhorar a sua motivação. Pode ser um curso ou um hobby, o importante é buscar sempre novos sentidos para a sua vida e encontrar estímulos para a existência.

No mais, aproveite os dias para sempre se sentir produtivo e com a devida valorização de si mesmo.

Agora que você já ficou bem informado sobre as relações da asma com os aspectos psicológicos, será que é possível o portador da doença ter um gato? Veja a resposta lendo este post!

Você também pode gostar

Deixe um comentário