Você sabe a relação da asma e poluição do ar?

asma e poluição do ar
6 minutos para ler

Nos centros urbanos brasileiros, principalmente em períodos de longa estiagem, a poluição atmosférica afeta a saúde de milhões de pessoas. O resultado disso é a expansão e o agravamento de doenças respiratórias. A relação entre asma e poluição do ar é uma dessas preocupações que merecem ser mais esclarecidas.

A asma é uma condição crônica na qual as vias aéreas do corpo (os brônquios) ficam inflamadas e estreitas, reduzindo a passagem de ar para os pulmões e provocando sintomas como tosse, aperto no peito e dificuldade para respirar. Os ataques de asma são classificados de acordo com sua gravidade e podem ser leves ou graves e de difícil controle.

O que piora a asma é a exposição a fatores externos, como agentes irritantes e aspectos climáticos. Entre os fatores do clima, a poluição do ar é o que mais gera apreensão por estar muito além do controle da pessoa asmática. Para entender mais detalhes sobre essa relação, acompanhe a leitura deste artigo!

A relação entre asma e poluição do ar

Pessoas com problemas respiratórios crônicos precisam ficar atentas em relação aos danos da poluição do ar. Os asmáticos são mais de 235 milhões no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde, e muitas vezes precisam se privar de situações por conta de possíveis gatilhos para uma crise, especialmente nos centros urbanos.

O dióxido de carbono (CO2), o óxido nítrico e o dióxido de nitrogênio (NO2) são os principais poluentes encontrados nas grandes cidades. Eles são emitidos por automóveis movidos a diesel e gasolina e constituem as substâncias que mais geram e agravam doenças respiratórias.

O desenvolvimento da asma tem como fator significativo, além de uma predisposição genética, a exposição a um ambiente marcado pela inalação desses gases. Durante uma crise asmática, as paredes dos brônquios se fecham, o que reduz o fluxo de ar para os pulmões, provocando dores no peito e a impossibilidade de respirar.

Além da exposição a gases poluentes, outras situações podem deflagrar esse quadro clínico. Evitar o contato com alérgicos, como ácaros da poeira, pólen e fumaça de tabaco, principalmente em ambientes fechados, é outra preocupação de quem lida com crises asmáticas.

É preciso, também, planejar as atividades diárias para locais e momentos em que o nível de poluição não é tão grande. Por exemplo, se você ou um familiar tem asma, evite estradas com zonas industriais. No verão, prefira a realização de compromissos no período da manhã.

Os tipos de poluição

Poluição é qualquer atividade que causa danos ao meio ambiente e, consequentemente, prejudica a vida dos seres humanos. A poluição tem se intensificado ao longo dos séculos, principalmente após os países passarem por revoluções industriais, nas quais a emissão de gases tóxicos e o uso indiscriminado de recursos naturais se tornaram muito mais intensos.

Os agentes poluentes são classificados a partir dos danos que causam ao meio ambiente. São eles:

  • poluição atmosférica;
  • poluição da água;
  • poluição do solo;
  • poluição térmica;
  • poluição visual;
  • poluição sonora;
  • poluição radioativa.

Os diferentes tipos de poluição são resultados de ações inconsequentes tanto do poder público e das instituições privadas quanto dos cidadãos. O atual modelo de mobilidade urbana das cidades brasileiras, por exemplo, é uma ação dos nossos governantes que se sustenta a partir do uso indiscriminado de automóveis movidos a combustíveis prejudiciais ao meio ambiente.

Ainda quanto às nossas atitudes diárias, descartar a possibilidade de usar transporte público é um exemplo de ação que não contribui para um estilo de vida mais sustentável.

Consequências da poluição do ar

A poluição atmosférica é, com certeza, uma das preocupações mais urgentes no cenário mundial. Impurezas no ar matam cerca de 7 milhões por ano. Além disso, 9 em cada 10 crianças estão expostas a esse tipo de agente poluidor.

Queimadas, desmatamento e excesso de liberação de gases poluentes por indústrias e automóveis estão entre as principais causas da intensificação do efeito estufa e da chuva ácida. Uma das consequências desse cenário, além das doenças respiratórias, é o aumento da temperatura da terra, fenômeno conhecido como aquecimento global.

Se continuarmos a emitir a mesma proporção de gases poluentes na atmosfera nas próximas décadas, os problemas do aquecimento global se tornarão mais intensos. Isso inclui prejuízos na produção de alimentos e frequentes episódios de seca.

Como a poluição do ar altera os mecanismos do corpo

De maneira geral, os poluentes gasosos tendem a provocar irritação nas vias aéreas. Essa condição gera lesões no tecido e danos à atividade dos minúsculos cílios que revestem os brônquios, tornando-os mais vulneráveis à ação de bactérias e vírus.

No entanto, o grau de alteração que a poluição atmosférica desempenha nos mecanismos naturais do corpo, principalmente do sistema respiratório, é difícil de avaliar. Isso acontece porque as pessoas são expostas de diferentes maneiras a esse tipo de poluição e contam com diferentes graus de vulnerabilidade.

Por exemplo, existem respostas individuais a determinados agentes em casos de pessoas que sofrem com alergias respiratórias ou que fumam frequentemente. Além disso, os efeitos da poluição do ar no organismo humano não se dão devido a apenas um agente poluente, mas a um conjunto de agentes e substâncias que se interagem de forma complexa.

As crianças são um dos grupos mais afetados pela poluição atmosférica, ao lado dos idosos, os quais contam com o aparelho respiratório mais enfraquecido.

Até os três anos, os novos alvéolos pulmonares estão se desenvolvendo e, a partir dessa idade, ocorre a expansão dos pulmões. Os alvéolos são os locais ondem ocorrem as trocas gasosas entre o ar que chega aos pulmões e o sangue. A maioria dos poluentes é formada por agente químico que interfere nesse processo, podendo provocar sequelas graves.

A relação entre asma e poluição do ar é bem mais direta do que muitos imaginam. Alguns cuidados podem tornar a rotina de quem lida com esse problema respiratório mais saudável, como o nebulizador. Trata-se de uma excelente solução para administrar medicamentos diretamente para os pulmões e melhorar a qualidade de vida das pessoas.

Gostou das informações encontradas aqui? Para mais detalhes a respeito da atuação dos nebulizadores no sistema respiratório, leia o nosso artigo sobre o funcionamento de um nebulizador.

Você também pode gostar

Deixe um comentário