Descubra o que fazer quando seu filho tiver uma crise de bronquite

crise de bronquite
7 minutos para ler

Uma das maiores preocupações de mães que têm filhos com problemas respiratórios é quando eles apresentam uma crise de bronquite, uma inflamação dos brônquios que provoca sintomas como tosse, dificuldade de respirar, chiado no peito e até febre. Em alguns casos, a tosse em crianças pode provocar náuseas e vômitos devido à grande produção de muco, ocasionada como reação do organismo ao processo inflamatório.

A bronquite pode ser aguda, quando tem curta duração; ou crônica, quando tem longa duração e se repete periodicamente, principalmente no inverno, exigindo cuidados especiais para evitar o agravamento do problema. As crianças que vivem em ambiente de fumantes apresentam uma maior probabilidade de sofrer com esse problema.

Neste artigo, vamos comentar sobre os principais procedimentos que podem ser adotados para melhorar a condição respiratória e ajudar o seu filho a sair de uma crise de bronquite de maneira mais rápida e segura. Acompanhe!

Consulte o médico pediatra

A primeira atitude a ser tomada diante dos sintomas de bronquite é consultar um pediatra, para obter o diagnóstico e o tratamento corretos. Isso porque a doença pode ocorrer devido a diferentes fatores, como vírus, bactérias, alergias ou algum problema congênito, e ser confundida com outras enfermidades, como gripes e resfriados.

Uma das doenças que podem confundir os pais é a bronquiolite. Trata-se de uma inflamação dos bronquíolos — localizados na parte final dos brônquios — que afeta principalmente os bebês menores de dois anos, sendo mais comum no inverno e durando de 3 a 15 dias. Isso ocorre porque nos primeiros anos de vida, o sistema imune ainda se encontra imaturo.

Dessa forma, as crianças ficam mais propensas ao vírus sincicial respiratório (VSR), que é o principal responsável pela instalação da doença. Além desse agente, o parainfluenza, o adenovírus, o vírus influenza, o bocavírus, o rinovírus e o metapneumovírus também são transmissores. O principal meio de contaminação são as secreções respiratórias e o contato com pessoas em ambientes fechados.

Nesse sentido, é muito importante não dar nenhum tipo de medicamento, como xarope, sem uma prescrição médica, pois a tosse é um meio eficiente de ajudar a expelir o muco acumulado nos pulmões. Além disso, a medicação pode ter efeito inverso e dificultar ainda mais a respiração.

Foque em controlar a febre

Caso a criança apresente febre alta, é importante tentar baixá-la, de preferência por meio de técnicas naturais, como banho em água morna e a redução da quantidade de roupa para evitar que a temperatura corporal continue a subir.

Em geral, a febre provoca mal-estar e tira o apetite, deixando o organismo mais fragilizado. Quando conseguimos baixá-la em alguns décimos, a criança começa a se sentir melhor e muitas vezes volta a se alimentar normalmente.

Reforce o sistema imunológico

Para que a criança consiga sair rapidamente da crise de bronquite é essencial fortalecer o seu sistema imunológico com vitaminas e minerais. Isso é conseguido por meio de uma alimentação saudável, contendo frutas, verduras e legumes. Além disso, alguns produtos naturais como gengibre e própolis podem ser utilizados para ajudar no restabelecimento da saúde, conforme orientações de um médico naturalista.

Caso a falta de apetite impeça uma boa alimentação, o pediatra poderá indicar alguns suplementos vitamínicos, como a vitamina C ou multivitamínicos que ajudam a fortalecer o organismo até a criança conseguir se alimentar novamente. Há várias opções de cápsulas que podem ser encontradas em farmácias e lojas de produtos naturais.

Garanta uma boa hidratação

O consumo de água é fundamental para manter a temperatura ideal do corpo e eliminar toxinas. Isso ocorre porque ela ajuda os rins a filtrar toda a sujeira do organismo, expulsando-a pela urina. Também é um meio natural e saudável de diluir o catarro para que ele saia com mais facilidade.

Faça a inalação correta

Caso a criança não esteja expelindo o muco e apresente tosse seca, é importante fazer inalação para liberar o catarro e facilitar a sua expulsão pelo pulmão. Uma forma eficiente e segura de fazer isso é utilizar um inalador. O procedimento pode ser feito até quatro vezes ao dia ou de acordo com a orientação médica.

Caso não seja possível o uso do aparelho, pode-se adotar a inalação caseira. Coloque água para ferver, desligue o fogo e transfira o líquido para um recipiente apropriado, certificando-se que a temperatura do vapor não esteja muito quente, de modo a evitar possíveis queimaduras na pele e mucosas. Deixe, então, a criança aspirar o vapor produzido pela fervura.

Utilize o nebulizador

Uma excelente opção é utilizar um nebulizador, pois o aparelho permite que o muco seja eliminado facilmente, além de facilitar a administração de medicamentos e promover a umidificação das vias aéreas. Dessa forma, ele alivia os sintomas e proporciona bem-estar, ajudando a criança a sair da crise de bronquite mais rapidamente.

Mantenha o ambiente umidificado

No inverno o ar tende a ficar menos úmido, prejudicando a saúde respiratória com o aumento da probabilidade de ocorrer crises de bronquite, asma e alergias. Para evitar esses problemas, é preciso manter o ambiente umidificado por meio de aparelhos umidificadores, pois eles regulam a umidade, proporcionando mais conforto e qualidade no ar.

No entanto, é importante observar que se a causa da bronquite é a alergia a ácaros, o umidificador não deve ser utilizado, porque, nesse caso, o aparelho pode produzir um efeito contrário ao desejado. Afinal, esses microrganismos se reproduzem com muita facilidade em ambientes úmidos. Além disso, é preciso utilizar o equipamento de maneira adequada para evitar excesso de umidade e proliferação de germes.

Conserve a casa sempre limpa

Limpe a casa regularmente, pois os ácaros, presentes no pó, provocam doenças respiratórias. Também é fundamental manter o ambiente arejado, abrindo as janelas para renovar o ar e permitir que os raios solares entrem nos cômodos.

Essas medidas evitam a formação de mofos, compostos por fungos microscópicos que crescem em lugares úmidos e se reproduzem liberando esporos no ar. A inalação desses microrganismos provoca reações alérgicas, como crise de bronquite, rinite, asma, entre outras.

Evite cheiros fortes na casa

Os cheiros fortes funcionam como verdadeiros gatilhos para irritação do sistema respiratório. Por isso é importante evitar a fumaça de cigarro no ambiente e a utilização de perfumes, spray de cabelo, aromatizantes e determinados produtos de limpeza que exalam aromas e ficam por algum tempo no ar.

Como vimos, é possível controlar e até evitar a crise de bronquite nas crianças adotando algumas medidas simples. Entretanto, é importante considerar que mesmo sabendo o que fazer nessas situações, é fundamental consultar um médico especialista e seguir o tratamento indicado por ele, evitando a automedicação.

Gostou dessas dicas? Acesse o site da Omron e conheça as nossas soluções para ajudar a combater as crises de bronquite e outras doenças respiratórias!

Você também pode gostar

Deixe um comentário