Números da pressão arterial: aprenda a interpretar de forma simples!

números da pressão arterial
7 minutos para ler

A hipertensão é uma doença grave e silenciosa. Muitas vezes, o indivíduo convive com ela sem sequer saber da sua existência. Ela só passa a ser conhecida após vários anos e somente depois que o indivíduo manifesta algum sintoma, fato que já pode ter comprometido o funcionamento regular de alguns órgãos, como coração, o cérebro, as artérias (vasos que saem do coração e leva o sangue com oxigênio e nutrientes para todos órgãos) e os rins, além de ser um fator de risco para a ocorrência de Acidente Vascular Cerebral (AVC) e ataques cardíacos.

Diante dessa situação preocupante, é importante acompanhar de perto os números da pressão arterial e entender como eles funcionam e o que significam. Esse conhecimento será bastante útil para prevenir e combater o surgimento da pressão alta e proporcionar uma maior qualidade de vida para o portador da doença.

Para ajudá-lo nesta tarefa, vamos explicar o que são e como interpretar os números da pressão arterial. Acompanhe a leitura e conheça todos os detalhes!

O conceito de hipertensão

A hipertensão é uma doença crônica de origem multifatorial, que se caracteriza quando a pressão arterial está em níveis superiores ao limite tido como normal — que é abaixo de 120 e 80 mmHg, ou apenas 12 por 8.

Esses valores indicam a medida da força que o fluxo sanguíneo é transportado pelas artérias em dois momentos distintos: quando o coração bombeia o sangue e quando ele relaxa.

O primeiro número mede a pressão durante o momento do batimento cardíaco. Assim, ele se refere ao movimento de sístole, ou seja, ele indica a força de bombeamento do coração (quando o coração se contrai e bombeia o sangue para o corpo).

Por sua vez, o segundo número indica o movimento de diástole, ou seja, a força que acontece nos vasos sanguíneos do corpo durante os batimentos cardíacos, no momento em que o coração relaxa e se enche de sangue novamente, para reiniciar esse movimento. Assim, se os valores ficarem acima da média, isso significa que o indivíduo está sofrendo de pressão alta.

A pressão alta atinge milhões de indivíduos, especialmente aqueles que têm maior predisposição para o surgimento dessa condição, como pessoas que tem antecedentes familiares de hipertensão, idosos, obesos, sedentários e pessoas com hábitos alimentares não saudáveis.

A pressão arterial é um “sinal vital” do organismo. Ela é uma medida que representa a força do sangue no momento em que ele é bombeado pelas paredes das artérias e vai percorrendo todo o corpo. Trata-se de um verdadeiro indicador que ajuda a controlar a saúde do coração.

Os números da pressão arterial

Como abordamos, a pressão arterial saudável ideal para um adulto que está em repouso abaixo de 140/40 mmHg, sendo o ótimo em torno de 120/80 mmHg. Quando o valor está superior à média, o indivíduo está sofrendo de hipertensão ou pressão alta.

Quanto aos valores específicos, a faixa sistólica normal costuma variar entre  120 mmHg 140 mmHg. Por sua vez, o número diastólico normal deve estar entre 80 a 90 mmHg.

Segundo as Sétimas Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial, As Urgências hipertensivas (UH) são situações clínicas sintomáticas em que há elevação acentuada da PA (definida arbitrariamente como PAD ≥ 120 mmHg) sem lesão aguda de órgão alvo e progressiva. As Emergências Hipertensivas (EH) são situações clínicas sintomáticas em que há elevação acentuada da PA (definida arbitrariamente como PAD ≥ 120 mmHg) com lesão aguda de órgão alvo e progressiva.

Pacientes com queixas de cefaleia, dor torácica atípica, dispneia, estresse psicológico agudo e síndrome de pânico associados à PA elevada não caracterizam UH ou EH, mas, na realidade, uma pseudocrise hipertensiva. O tratamento deve ser otimização da medicação anti-hipertensiva e conscientização da adesão ao tratamento.

Trata-se de um sinal de alerta que merece atenção, pois pode desencadear problemas mais graves. Por isso, é importante fazer um acompanhamento regular da pressão e adotar um hábito de vida mais natural e saudável.

Quanto aos valores específicosalta

A hipertensão não costuma manifestar muitos sintomas na maioria das vezes. Na verdade, o indivíduo geralmente descobre que que tem a doença apenas ao auferir a pressão arterial ou no momento em que a doença já causou lesões na superfície das artérias ou em algum órgão.

Além disso, a pressão alta também é um forte fator que desencadeia o surgimento de doenças, como o AVC, insuficiência renal, infarto, amputação dos membros, entre outros problemas graves.

Entre os sintomas que podem ser desencadeados pela pressão arterial alta, estão:

  • distúrbios metabólicos e alterações funcionais;
  • danos nas estruturas de órgãos;
  • obesidade abdominal;
  • intolerância à glicose;
  • diabetes melito;
  • acidente vascular encefálico (AVE);
  • infarto agudo do miocárdio;
  • insuficiência cardíaca;
  • doença arterial periférica;
  • doença renal crônica;
  • aneurismas e lesões nos vasos sanguíneos do olhos.

Causas da pressão alta

A pressão alta costuma ter origem hereditários na maioria dos casos, ou seja, ela é herdada dos familiares. Contudo, existem outros motivos que acabam contribuindo para o aumento da pressão arterial. Confira:

tabagismo;

diabetes;

  • consumo excessivo de bebidas alcoólicas;
  • ingestão de sal e alimentos gordurosos e industrializados;
  • sedentarismo;
  • ausência de atividades físicas;
  • sobrepeso e obesidade;
  • estresse e ansiedade;
  • alto nível de colesterol não controlado.

A importância de medir a pressão arterial

A aferição da pressão arterial deve ser uma prática constante, especialmente em indivíduos que convivem com a doença. Além disso, as pessoas que pertencem a determinados grupos de risco também precisam cultivar esse hábito, como as mulheres grávidas, idosos, obesos, sedentários, entre outros.

A leitura da pressão arterial é um procedimento padrão nas consultas médicas. Esse exame faz o registro do número da força que está sendo empenhada nas paredes das artérias, no momento em que o sangue vai circulando pelo corpo. Essa medida ajuda a detectar a saúde do sistema cardiovascular, ou seja, a determinar o quanto o

coração

de uma pessoa está funcionando.

Por isso, é importante monitorar diariamente esse número — às vezes, até mais de uma vez por dia, conforme orientação médica. É possível auferir a pressão em farmácias e postos de saúde. Além disso, existem aparelhos específicos no mercado, que medem a pressão arterial de forma rápida e simples. A vantagem é que eles fornecem uma interpretação dos números muito mais fácil.

O indivíduo acometido por essa condição pode levar uma vida normal e saudável. De qualquer forma, é essencial procurar o quanto antes uma ajuda profissional. Afinal, ninguém melhor do que um médico para analisar os números da pressão arterial, trazer um diagnóstico mais exato e prescrever a medicação adequada, se for o caso.

Você sofre de pressão alta? Ainda tem alguma dúvida sobre o assunto? Deixe um comentário abaixo e nos diga o que achou do conteúdo e quais são suas dúvidas!

Você também pode gostar

Deixe um comentário