O que ataca a asma? Conheça aqui tudo o que piora a doença!

ataca a asma
7 minutos para ler

Poeira, ácaros, mudança de temperatura, exercício físico: afinal, o que ataca a asma? Quem convive com a doença já sabe que determinados cheiros, fumaça e até mesmo o tempo seco e frio podem desencadear uma crise.

Por isso, é fundamental adotar medidas preventivas, reduzindo a exposição aos gatilhos. Com os cuidados adequados, a pessoa portadora de asma consegue ter uma vida normal e com qualidade. Isso vale, inclusive, para as crianças.

Quer conhecer melhor os agentes causadores de crises de asma e descobrir como evitar a exposição? Então, continue a leitura de nosso artigo!

Entenda melhor a asma

Em primeiro lugar, é fundamental entender que a asma é uma doença crônica que não tem cura. Além disso, ela tem uma característica genética, ou seja, se os pais (ou um deles) forem portadores da doença, existe grande chance de os filhos também a desenvolverem.

Frequentemente, a asma surge nos primeiros anos de vida. Entre os seus principais sintomas estão a falta de ar, dificuldades respiratórias, tosse e chiado no peito. Esses desconfortos são causados pelo estreitamento dos brônquios, que são os canais que levam o ar aos pulmões, causado pela inflamação nos bronquíolos. Em alguns casos, a crise pode se agravar e demandar um atendimento médico de emergência.

Assim, quem tem uma pessoa com asma na família precisa redobrar os cuidados para que a exposição aos agentes causadores de crises seja a menor possível. Além disso, outras precauções são fundamentais para manter os sintomas sob controle:

  • consulte um médico pneumologista para orientações sobre o uso de medicamentos para controle;
  • não utilize os remédios prescritos somente durante as crises, pois a asma é uma doença crônica e a finalidade do tratamento é controlá-la;
  • faça uso de soluções (como soro fisiológico) para umidificar as vias aéreas, evitando o ressecamento das mucosas. Isso é importante especialmente no caso das crianças.

Saiba o que ataca a asma

Além de manter a rotina de tratamentos de acordo com a prescrição médica, algumas medidas de controle ambiental e comportamental contribuem para reduzir os sintomas e evitar crises. Confira, a seguir, o que ataca a asma.

Poeira

O pó em suspensão no ar pode ser inalado pela pessoa com asma, levando a uma crise. Por isso, a limpeza cuidadosa do ambiente é essencial. A higienização deve ser feita com pano úmido, justamente para evitar que a poeira suba.

Vale lembrar que a poeira também se acumula em cortinas, tapetes, filtro de ar-condicionado, livros, quadros e objetos de decoração. Por isso, a limpeza desses objetos deve ser frequente. Quando possível, tapetes e carpetes devem ser evitados, especialmente nos quartos. No caso de quartos infantis, o cuidado com bichos de pelúcia e outros brinquedos expostos deve ser redobrado.

No campo, a poeira natural do ambiente e o pólen das plantas também podem comprometer as vias aéreas.

Ácaros e fungos

Esses micro-organismos que se alimentam de pele humana e pelos de animais podem se proliferar em vários locais da casa, como colchões, travesseiros e almofadas. Por isso, a roupa de cama deve ser trocada com frequência. Capas de almofadas, cobertores e edredons também devem ser lavados com maior periodicidade. Capas impermeáveis para colchões e travesseiros também são recomendadas.

No caso dos fungos, a umidade é o maior fator de risco. Por isso, o uso de umidificadores de ar no ambiente deve ser evitado. A casa precisa estar arejada e ambientes normalmente úmidos, como banheiros, precisam de ventilação adequada.

Fumaça e poluição

Embora nem sempre seja possível evitar que a pessoa com asma seja exposta à poluição, especialmente nos centros urbanos, quanto menos isso acontecer, menores as chances de desencadeamento de uma crise.

No caso da fumaça de cigarro, a exposição deve ser totalmente evitada. Um asmático não pode fumar. Caso exista um fumante na família, é importante que essa pessoa se conscientize dos riscos e adote estratégias para combater o tabagismo. Se isso não for possível, algumas precauções devem ser tomadas, como fumar fora de casa e trocar de roupa assim que entrar.

Odores

Cheiros fortes podem desencadear uma crise. Isso vale para produtos de limpeza, como detergentes e água sanitária, e para itens de higiene pessoal, como cremes, shampoos e perfume. Se a criança tem asma, nunca permita que ela seja pegada no colo por uma pessoa com excesso de perfume, pois isso pode atacar a doença.

Infecções respiratórias

Gripes, resfriados e outras doenças podem levar a uma crise de asma. Enquanto uma pessoa que não tem asma se cura em poucos dias, o asmático pode sofrer várias complicações. Assim, medidas de higiene adequadas e vacinação em dia são essenciais.

Animais domésticos

Essa é uma dúvida comum. Muita gente, aliás, associa os gatos a possíveis transmissores da doença. Na verdade, isso é um equívoco. Quem tem asma pode ter um animal de estimação em casa, desde que mantidos os procedimentos de higiene.

Além disso, deve-se evitar que o animal durma na mesma cama da pessoa asmática ou em armários e guarda-roupas.

Mudança de temperatura

O paciente com asma sofre com a hipersensibilidade das vias aéreas. Por isso, uma mudança brusca de temperatura pode desencadear a crise. Evite se expor ao frio e agasalhe as crianças de forma adequada quando não houver alternativa.

Exercícios físicos

Durante a atividade física, os batimentos cardíacos tendem a aumentar. Com isso, alguns sintomas, como dificuldade respiratória e tosse, surgem. Essa é uma grande preocupação para quem tem crianças, que naturalmente correm durante suas brincadeiras e jogos.

No entanto, com a prevenção adequada, o risco é mínimo. A atividade física é, inclusive, recomendada por médicos, pois melhora a condição dos pulmões. Evite apenas que essas atividades ocorram em ambientes externos durante o frio. Caso não seja possível, agasalhe-se de maneira adequada.

Faça a prevenção

Além de adotar os cuidados de higiene e controle do ambiente, é importante orientar a pessoa com asma (mesmo que seja uma criança) a ter tranquilidade nos momentos de crise. A ansiedade e o stress tendem a dificultar ainda mais a respiração. Assim, se a crise vier, é fundamental utilizar a medicação prescrita pelo pneumologista.

Em casa, também vale a pena utilizar um nebulizador, que contribui para umidificar as vias aéreas e reduzir o acúmulo de secreções. Isso facilita a respiração e confere maior conforto.

Além de entender o que ataca a asma e afastar esses gatilhos, é importante ainda saber distinguir os sintomas de outras doenças respiratórias, uma vez que rinite, sinusite e bronquite, por exemplo, se assemelham muito. Assim, com o tratamento correto, a qualidade de vida é garantida.

Quer saber mais sobre doenças respiratórias, seus sintomas e tratamentos? Assine nossa newsletter e receba informações diretamente em seu e-mail!

Você também pode gostar

Deixe um comentário