fbpx

Quem tem asma pode ter gato? Entenda!

quem tem asma pode ter gato
6 minutos para ler

Crises respiratórias que causam a sensação de sufocamento, chiado no peito, tosse seca: quem tem asma conhece todos esses sintomas e já percebeu que determinadas coisas, como alergias ou mudanças bruscas de temperatura, por exemplo, podem desencadear uma crise.

Uma dúvida comum é sobre animais de estimação — afinal, quem tem asma pode ter gato? Essa relação entre o gato e a asma não passa de mito. No passado, acreditava-se até mesmo que o ronronar do felino transmitia a doença. No entanto, hoje já se sabe que, além de o animal não ser um transmissor, a sua presença não tem o poder de causar uma crise. 

Entretanto, os seus pelos (e os de qualquer outro animal, como os de um cão) podem causar alergias — estas, sim, responsáveis pelas crises asmáticas. Quer saber como evitar isso e conviver em paz com seu bichano? Continue a leitura!

O que causa a asma?

A asma é um estreitamento dos canais que levam o ar aos pulmões, chamados brônquios. Durante uma crise asmática, podem ocorrer contrações ou broncoespasmos, que dificultam a passagem de ar, causando uma sensação de sufocamento ou falta de fôlego. 

Além disso, para o asmático, é mais fácil expirar do que inspirar. Assim, o desconforto respiratório é agravado pelo ar viciado que permanece nos pulmões. A doença costuma ser desencadeada por alergias diversas ou mesmo por situações que causem ansiedade, estresse emocional ou cansaço físico. Normalmente, gripes e resfriados tendem a agravar o quadro. 

De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT), cerca de 20 milhões de brasileiros têm a doença. Ao ano, ocorrem, aproximadamente, 350 mil internações, causadas por crises de asma. Quando fora de controle, a doença pode levar a consequências mais sérias e até mesmo ao óbito.

A asma não tem cura e não se sabe ao certo suas causas, embora fatores genéticos e ambientais sempre estejam presentes. Entre as situações que podem levar a uma crise, estão:

  • alergias diversas, causadas por ácaros, fungos, pólen, poeira, fumaça, entre outros;
  • fumaça de cigarro e poluição ambiental;
  • exposição ao frio;
  • odores de produtos de limpeza ou determinados perfumes e cosméticos;
  • exercícios intensos;
  • ansiedade ou estresse.

Quem tem asma pode ter gato?

Como você percebeu, a doença não é transmitida por nenhum ser vivo. Ou seja, não tem relação alguma com os gatos!

No entanto, é possível que a pessoa asmática tenha crises alérgicas ao inalar os pelos de animais (nesse caso, não apenas de gatos, mas de qualquer outro). Além disso, a descamação da pele do animal, a saliva ou a urina também podem ser gatilhos para desencadear uma crise. 

Isso não significa que quem tem asma não pode ter um animal de estimação. Pelo contrário, existem até mesmo estudos que apontam que o convívio com gatos, desde a infância, pode reduzir as chances de desenvolvimento da doença. 

Assim, caso você esteja planejando adotar um animal de estimação, não é preciso ter medo. Ele não vai transmitir asma nem desencadear crises. Para evitar possíveis alergias, no entanto, é importante manter alguns cuidados:

  • evite deixar o gato dormir na cama da pessoa que tem asma. Caso isso ocorra, as roupas de cama precisam ser trocadas com maior frequência;
  • gatos, normalmente, perdem muitos pelos, que podem ser aspirados se ficarem no ambiente. Por isso, é importante escová-los com frequência. Além disso, o chão da residência deve ser limpo com pano úmido, para retirar os pelos do ambiente;
  • se houver tapetes, é necessário aspirá-los com frequência;
  • depois de brincar com seu bichano, sempre lave as mãos. Se houver pelos em suas roupas, troque-as;
  • gatos adoram se esconder. Porém, não permita que façam isso em seu guarda-roupas, pois os pelos podem ficar nas roupas e causar uma crise de alergia;
  • se você tem filhos, não precisa ter receio e evitar que tenham contato com o gato. Basta manter o ambiente arejado e adotar cuidados de limpeza para reduzir a exposição aos pelos do animal. Como já mencionamos, pesquisas indicam que a relação com os felinos pode prevenir a evolução da doença!

Como evitar crises asmáticas?

Agora que você já entendeu que a asma não tem nenhuma relação com seu gatinho, é preciso ficar de olho nos possíveis agentes que agravam os sintomas e desencadeiam crises. Confira os principais cuidados!

Mantenha a limpeza do ambiente

Evite poeira, ácaros e fungos deixando o ambiente sempre limpo. Prefira usar apenas um pano úmido para a limpeza, de forma que odores mais fortes de produtos não causem alergia. Deixe a casa arejada, troque roupas de cama com frequência e evite pontos de acúmulo de poeira, como tapetes, bichinhos de pelúcia expostos, entre outros.

Não fume

Asmáticos não devem fumar nem permanecer em ambientes com fumaça de cigarro. A pessoa que tem asma deve evitar, inclusive, o contato com fumantes. 

Por isso, se alguém na família fuma, é importante que entenda a gravidade da doença e adote medidas como fumar fora do ambiente e trocar de roupa depois disso. Um tratamento para reduzir a dependência é a melhor opção (inclusive para o próprio tabagista).

Saiba identificar uma crise

Identifique os sintomas iniciais da doença e adote as medidas necessárias para evitar o agravamento, conforme a orientação do seu médico. Normalmente, os broncodilatadores são recomendados, e os inaladores também são bastante eficientes. Evite o pânico durante a crise, pois isso pode dificultar ainda mais a respiração.

Falta de ar, tosse persistente, dor no peito e febre são sinais de alerta. Caso tenha tais sintomas, procure atendimento médico.

Invista na hidratação

Tome muito líquido, pois isso ajuda a fluidificar as secreções, tornando a expectoração mais fácil. No caso de crianças menores, faça também a lavagem nasal com soro fisiológico. A inalação com soro também ajuda nisso, além de contribuir para o controle de outras doenças respiratórias

Como foi possível constatar neste post, adotando alguns cuidados para controlar os gatilhos que desencadeiam crises, a pessoa asmática pode ter uma vida normal, sem complicações. E, sim, quem tem asma pode ter gato! Além de amorosos, os felinos podem até contribuir para reduzir a evolução da doença.

Vamos acabar com esse mito? Compartilhe nosso post em suas redes sociais para que mais pessoas saibam como controlar os sintomas da doença e descubram que a asma nada tem a ver com os gatos!

Você também pode gostar

Deixe um comentário